Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.

Como funciona o Críquete

Como funciona o Críquete

Vamos mostrar o básico para começar a apostar no desporto Críquete.

por Academia   |   comentários 0

Já ouviste falar num desporto chamado críquete? Fica a saber que ele é uma das paixões nacionais em vários países do mundo, contando com milhares de telespectadores e apostadores. Para quem nunca assistiu a uma partida, ou já viu vídeos, mas não sabe como funciona, podemos dizer que este lembra um pouco o basebol. Neste artigo, vamos ensinar o básico para começares a te entrosar e a fazeres as primeiras apostas no críquete.

 
Faz parte do nosso canal no Telegram - Clicando AQUI!
 

Como o jogo funciona o Críquete

São duas equipas com 11 jogadores para cada lado (a semelhança com o futebol acaba por aqui). O campo é circular e possui algumas divisões, dos dois lados, com os seguintes nomes: uma das partes chama-se Retângulo (pitch), outra Círculo Interior (infield) e, por fim, há o Círculo Exterior (outfield).

 
Confere todos os JOGOS HOJE e acompanha ao vivo!

O retângulo fica na parte central do campo, o mesmo lugar onde ficam os atacantes batedores. Nas extremidades desta parte do campo ficam dois atletas de defesa: um rebatedor e um lançador. A maior parta da ação e emoção do jogo ocorre nessa faixa do campo.
 
Nas extremidades dessa área do campo também ficam os famosos Wickets, que são as estacas de madeiras cravadas no campo.
 
No críquete, explicando de forma simples, enquanto uma equipa arremessa, a outra tem a missão de rebater. Os arremessadores têm como objetivo fazer a bola atingir os wickets, enquanto os rebatedores possuem a tarefa de impedir que a bola bata nos wickets, jogando-a o mais longe possível.
 
Além disso, enquanto a equipa de quem está arremessando percorre atrás da bola, a equipa do rebatedor percorre a área dos wickets, o maior número de vezes possíveis nesta jogada. Cada vez que este alcança os wickets, marca um ponto, chamado “run”.
 
Se o rebatedor conseguir rebater a bola para fora do campo, sem que esta tenha batido dentro antes, este marca 6 pontos e fica livre de correr. Agora, se a bola bate dentro do campo antes de sair, este soma 4 pontos, e igualmente não precisa correr.
 
Já o arremessador tem que cumprir algumas tarefas. No vocabulário do críquete, chama-se “queimar os rebatedores”. Existem algumas formas de conseguir isso:
 
- Fazendo a bola atingir o wicket;
 
- Se algum companheiro conseguir agarrar a bola (depois de rebatida) antes de tocar no chão;
 
- Se a bola tocar no wicket, enquanto o rebatedor está a percorrer até aos próprios wickets para somar pontos (explicado no parágrafo anterior).
 
Quando acontece do rebatedor ser queimado, este é substituído por outro companheiro que está de fora. Após 10 substituições, os clubes trocam de papéis. Quem estava a arremessar começa a rebater, e vice-versa.
 
O tempo de duração das partidas varia conforme as regras da competição. Como esse tempo não é medido por minutos, como a maioria dos desportos do planeta, um jogo pode durar dias! São determinados números de “innings”, que são a troca de turnos citados acima, quem rebate vai para a ação de arremesso, e quem arremessa começa rebater. Enquanto não cumprir esse número, a partida não é finalizada. Quem marcar mais pontos até chegar ao número de innings estipulados no jogo, vence o duelo.
 
Para ter sucesso nas apostas neste desporto, o básico a se fazer é procurar informações desses variados tipos de lançadores e rebatedores que podem ser utilizados durante um jogo. Essa é uma das principais estratégias no críquete, já que alguns clubes possuem as suas qualidades nos lançamentos, enquanto outras têm como virtude tática e técnica rebater. Alguns clubes beneficiam muito nas partidas como visitado, além do clima, que varia de local para local. Clubes que estão bastante acostumados com o seu clima, podem levar vantagem, visto que a partida pode durar horas (ou dias) e o desgaste pode ser grande no decorrer do jogo.


 
Array

Partilhar "Como funciona o Críquete" via: