Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.

Não fazer nada pode ser produtivo

Não fazer nada pode ser produtivo

O simples facto de se considerar que não fazer nada pode ser uma mais-valia, é o primeiro passo para ter esta opção em mente e aplica-la quando necessário.

A dualidade de não fazer nada são as questões entre "deixar de ganhar" e "deixar de perder".

por MJCA   |   comentários 0

Nunca é demais relembrar um dos conselhos da comunidade da academia das apostas e das conclusões do diário do Paulo Rebelo, que tem marcado a minha aprendizagem neste mundo: "saber não fazer nada".

Eu próprio já comprovei pelas melhores, mas também pelas piores razões, que é mesmo assim. "Saber não fazer nada" e não fazer nada é, ou pode ser, muito produtivo.

O relacionamento deste conselho ou conclusão toca, em tudo, com outras premissas que nos foram dadas no curso da academia. Na verdade, ainda há semanas atrás um jornal diário publicava um artigo sobre isto: não fazer nada pode ser bastante produtivo. O nosso caso nas apostas não é exactamente o que falavam nesse jornal, mas o simples facto de se considerar que não fazer nada pode ser uma mais-valia, é o primeiro passo para ter esta opção em mente e aplica-la quando necessário.


A Arte de Não Fazer Nada

Segundo o artigo falado anteriormente e outros que fui lendo na internet, o facto de se não fazer nada pode ser revigorante, eliminar o stress, aumentar a concentração e a produtividade.

Todas estas situações são relevantes para quem não faz nada mas poderão ser vistas como de extrema importância para o caso dos traders.

Quando nos colocamos em frente ao ecrã para trabalharmos será, certamente, uma mais-valia estarmos bem física e mentalmente, de forma a estarmos despertos, com energia, concentrados, focados e com análises mais corretas possíveis para alcançar a tão desejada produtividade, O GREEN!


Mas porque é que é de valor Não Fazer Nada?

Mais do que aqui possa ser escrito por um principiante, já tudo foi dito pelo Paulo Rebelo no Curso da Academia e em outras sessões, e também pelos “nossos grades tutores” dos acompanhamentos no TeamSpeak da academia.

O que aqui posso sublinhar são todos os erros que cometi que são apontados pelos entendidos do parágrafo anterior como entradas sem valor, atrás do prejuízo, a ânsia de ver um GREEN a qualquer custo…

Aí a importância de Não Fazer Nada! Estar tranquilo, analisar a situação e averiguar se é ou não de valor entrar.

Os erros mais vulgares que cometi foram dois, julgo muito comuns:

  1. Alguns pequenos greens iniciais e EUREKA(!!) – “já domino isto!!!” Conclusão fácil, tudo dá GREEN!!! - ERRO!! – Lá vieram uns RED’s, quando 99% das situações a atitude mais certa era estar quieto! NÃO FAZER NADA!
  2. A seguir a um RED, vamos recuperar, qualquer coisa serve para recuperar o que perdi. “Isto é capaz de bater! Tem de bater”, mas sem análise, sem racionalidade e novo RED! Mais uma vez era de valor, NÃO FAZER NADA!

Teria, então, sido de VALOR estar quieto e NÃO FAZER NADA!


O que podemos deixar de ganhar Vs. O que deixamos de perder?

A dualidade de não fazer nada são as questões entre deixar de ganhar e deixar de perder. A verdade é aquilo que vamos pensando: “não aposto e vou deixar de ganhar!” ou “não aposto e deixo de perder!”


De todos os erros que cometi, vídeos que vi e até nas conversas que vamos ouvindo nos acompanhamentos com o Foot, o José e o Filipe, fui aprendendo que uma boa análise e uma boa leitura do que está a acontecer no jogo marca a diferença entre uma dúvida em “não fazer nada para não perder” ou uma certeza em “aceitar um risco calculado que no longo prazo deve dar lucro”.

Mesmo que a aposta tenha dado RED, se ela foi uma aposta de valor o pensamento tem de ser este: “foi um risco, mas um risco com uma grande probabilidade de dar certo que não deu!”

Com a prática conseguimos mudar um pensamento que podia ter sido “não faças nada para não perder”, mas que pela confiança na nossa aposta de valor passou a ser “foi um risco com uma hipótese muito boa de dar certo pelo que se estava a passar! Se voltar a acontecer faço o mesmo! Em 10 situações idênticas 8 ou 9 vão dar certas e vou ter lucro!”
 
No outro extremo a outra ideia: “se não fizer nada vou deixar de ganhar”, mas a verdade é que se não for de valor vamos acabar por perder mais vezes.

Assim, este dilema será eterno e então vale a clareza da decisão e do risco que corremos para quando a aposta não bate certo podermos afirmar que não foi um acto de azar ou sorte, foi uma probabilidade maior que não foi correspondida!


Irei terminar este artigo com um exemplo recente: Liga dos Campeões, quartos-de-final, Atlético Madrid – Real Madrid.

Na 1.ª mão grande RED para quase todos nas apostas dos golos.

  • Pré-live: derby, jogos sempre divididos, com muitos golos. Ocorrer 2 golos será o mínimo.
  • Live: Real em cima, muitas oportunidades de golo. Todos a carregar os over’s (0,5/ 1,5). Jogo dinâmico embora o Atlético um pouco recuado e nada. Parte final o Atlético começa a chegar à frente, cantos, livres, tudo o que o Atlético gosta. O Real a aproveitar todos os espaços. E nós a carregar no over 0,5.
  • Conclusão: já todos sabem. Golos nada, RED’s com fartura!

Era suposto ficarmos sem fazer nada? Apenas a ver um jogo com esta dinâmica e nada… Não me parece! A questão então não deveria ser “Se não apostasse não perderia nada” mas sim “Era de valor tinha tudo para acontecer”!

Bem, na 2.ª mão a história quase se repetia mas, na minha opinião, as equipas foram ainda mais calculistas. Um golo podia deitar tudo a perder e os treinadores montaram tudo para que em 1.º lugar defendessem de forma coesa, para não sofrer golo. A verdade é que houve menos probabilidade de golos! Mas, após a expulsão ele acabou por acontecer!


Conclusão

Na verdade, no meu ainda curto percurso nas apostas já passei por algumas fases em que cometi vários erros, refleti sobre eles e estou a tentar progredir no trading.

Uma das situações onde fui evoluindo foi nas análises pré-live que faço e, com os jogos a decorrer, julgo que determinado facto vai acontecer e, por vezes… fico a ver!

Esta situação de não fazer nada é aquela que não é produtiva e que aos poucos vou com elas aprendendo e ganhando confiança para novos desafios. Que, espero, vão correr bem!

No entanto, o mais importante é: nunca entrar num mercado sem estar convicto de que se perder este dinheiro, era sempre uma boa aposta!

Caso contrário, se não tivermos essa convicção então NÃO FAZER NADA PODE SER MESMO PRODUTIVO!!

 

, ,

Partilhar "Não fazer nada pode ser produtivo" via: