Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.

GP da China: Alonso e Ferrari em sintonia

GP da China: Alonso e Ferrari em sintonia
O trabalho da Ferrari, durante a paragem de três semanas desde a última corrida, foi desenvolvido em torno da velocidade de qualificação, que já é bastante boa, como foi comprovado com o 2º lugar de Massa em Singapura.

A Red Bull venceu na Malásia, mas Ralph Ellis viu sinais de que Fernando Alonso e a Ferrari podem voltar à cena da Fórmula Um no Grande Prémio da China...
 
Sebastien Vettel não demorou muito a desmascarar-se. Pode ter pedido muitas desculpas por ignorar as ordens das equipa e manter-se à frente de Mark Webber na Malásia, mas umas semanas mais tarde a história já é diferente. "Não peço desculpa por vencer", diz agora.
 
E na realidade, ainda bem para ele. Se tivesses apostado a favor de Vettel na corrida na expectativa de que o instinto de competição do jovem alemão fosse um dos factores decisivos, ficavas contente com o resultado.
 
Mas isso significa que, com o Grande Prémio a chegar à China este fim de semana, o centro das atenções recai outra vez sobre Vettel e Webber, o seu companheiro de equipa na Red Bull, para analisar o resultado da disputa na Malásia.
 
Mas eu também estava fascinado com uma "rixa" que não chegou a acontecer. Quando Fernando Alonso saiu da pista, estava à espera que ficasse enraivecido com a decisão da equipa de atrasar a "pit stop". Bateu na traseira de Vettel poucos segundos após o início da corrida e era claro que o "aileron" dianteiro do seu carro estava seriamente danificado, pelo que parecia óbvio que tinha de parar e arranjá-lo.
 
Em vez disso, os engenheiros decidiram mantê-lo na corrida, num carro danificado, com a ideia de mudar os pneus uma ou duas voltas mais tarde, ao mesmo tempo que arranjavam o "aileron".
 
Revelou-se uma decisão desastrosa, já que apenas umas centenas de metros depois de passar pelos "pits", o "aileron" caiu e o seu Ferrari saiu da pista, sem controlo, e foi parar à gravilha.
 
Esta semana, questionaram Alonso sobre isso, numa sessão de perguntas e respostas no Twitter, no site da Ferrari e esta foi a sua reacção: "Em retrospectiva, é fácil dizer que teria sido melhor se eu tivesse entrado, mas pensámos que conseguia aguentar mais uma volta para aproveitar ao máximo a "pit-stop." As simulações de corrida mostram que se eu tivesse parado para mudar o nariz teria terminado em nono ou décimo, por isso não perdemos nada. O problema não foi entrar, o estrago foi feito na colisão."
 
De uma maneira geral, isto significa que Alonso admite que a culpa foi dele e não da equipa. Isto dá-nos uma perspectiva interessante sobre o seu estado de espírito em relação ao seu carro este ano. Na época passada ele arrastou-se na competição pelo título, apesar do mau carro que tinha, e queixou-se o ano inteiro sobre o facto de estar em desvantagem. Desta vez parece satisfeito com o carro o que nos sugere que ainda tem muito para dar.
 
Por isso acho que, apesar de Vettel a 3.35 ser o favorito e a aposta óbvia para vencer o Grande Prémio da China, o valor está em apostar a favor de Alonso a 4.8.
 
O trabalho da Ferrari, durante a paragem de três semanas desde a última corrida, foi desenvolvido em torno da velocidade de qualificação, que já é bastante boa. Afinal, Felipe Massa foi o segundo na grelha de partida em Singapura.
 
A pista em Xangai, com os seus 1.2 kms a direito e vários tipos de curvas, é um circuito sem igual, o que exige mais dos carros - especialmente com o efeito do pó das fábricas das redondezas. O que torna as probabilidades da aparição do "safety car" - actualmente avaliada entre 2.24 e 2.34 - a outra aposta de valor este fim de semana.
 
Aposta Recomendada
Fernando Alonso para vencer o GP da China @ 4.8


  in Apostas Betfair

Partilhar "GP da China: Alonso e Ferrari em sintonia" via: